Categoria selecionada: Advogados

Erro de Fato - aposentado enquadrado tem retorno certo

A aposentadoria é um momento muito aguardado por todos os brasileiros, porém, na euforia de alcançar estas metas muitos não percebem que ocorreram erros na hora de calcular os valores a serem recebidos e ficam anos recebendo menos do que deveriam, pois ocorreu um erro de fato, ou melhor, uma falha do INSS.

Desaposentar, eis a questão

Poder desaposentar é um dos temas mais comentados quando o assunto é previdência. Basicamente, a desaposentação ocorre quando o trabalhador se aposenta, mas continua trabalhando e, consequentemente, contribuindo para a Previdência Social, em razão de determinação legal. Porém, ele não se “aproveita” dessas contribuições em razão da regra geral da impossibilidade de se cumular dois benefícios previdenciários.

Desaposentação também é direito para servidores públicos

A possibilidade de os servidores que já aposentaram e continuaram trabalhando e contribuindo renunciarem à aposentadoria com a finalidade de obterem benefícios mais vantajosos é direito e uma importante luta. No ramo jurídico este direito é chamado de Desaposentação.

Aposentado: Mudança do fator beneficiário dará correção em benefícios

Há uma tendência mundial em se considerar as duas expectativas para planos de previdência

Rio – Mudar a composição do fator previdenciário — que é média da expectativa de vida do homem e da mulher mais a idade de cada um — no cálculo das aposentadorias da Previdência Social proporcionará ganhos para o trabalhador que tem a concessão do benefício pelo INSS.

Desaposentação, por enquanto, somente na Justiça.

Milhares de aposentados do INSS conseguiram uma vitória importante no início deste mês: a aprovação pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado do projeto que permite a troca do benefício por outro mais vantajoso, que considere o tempo de contribuição do período pós-aposentadoria para quem continua a trabalhar. Mas, quem quiser conquistar este benefício, ainda precisa recorrer à Justiça Federal, que já concedeu este direito à muita gente.

Segurado deve optar entre pensão e benefício assistencial

O segurado ou dependente que estiver prestes a receber a pensão por morte de seu cônjuge ou filho não pode acumulá-la com o BPC – Loas (Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social). Muita gente não sabe disso, porque a Previdência permite que o beneficiário em questão receba aposentadoria, seja por idade, tempo de contribuição, especial ou invalidez, além de auxílio-doença ou auxílio-acidente.